Uma construção Smart Wood necessita de licenciamento?

Sim, tal como consta na legislação vigente, desde que a construção se incorpore no solo com carácter de permanência, o enquadramento legal é exatamente o mesmo independentemente do tipo de sistema de construção.

O licenciamento deste tipo de casas também está sujeito ao Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação – Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, na sua atual versão, que dispõe na alínea a) do artigo 2.º que é considerada edificação a atividade ou o resultado da construção, reconstrução, ampliação, alteração ou conservação de um imóvel destinado a utilização humana, bem como de qualquer outra construção que se incorpore no solo com carácter de permanência.

Será sempre aconselhável e sensato recolher esclarecimentos precisos, detalhados e fundamentados junto das entidades competentes ou obter apoio de profissionais formados, qualificados, informados e imparciais

Que tipo de manutenção preciso de ter com uma construção Smart Wood?

A Smart Wood preocupa-se muito com esta questão, pretendemos que os clientes tenham acesso a uma construção de qualidade aliado a uma imagem que nos define. Para isso, seleccionámos um conjunto de materiais de pouca ou nenhuma manutenção para a composição das nossas estruturas. O mesmo acontece quando se trata de madeira no revestimento exterior, para que esta tenha uma melhor garantia de qualidade e esteja preparada exactamente para essa função com o mínimo de manutenção possível.

Para revestimento exterior em madeira, apresentamos uma selecção de madeiras de qualidade e tratadas, contudo para evitar a oxidação natural da madeira que lhe confere uma tonalidade mais acinzentada, deve então, à semelhança da pintura de uma parede rebocada, por exemplo, proceder a uma manutenção simples e esporádica à base de protector de madeira ou óleo, num intervalo aconselhável de cerca de 3/4 anos, dependendo do local onde este estará instalado.

Nos nossos modelos, os materiais opcionais como o ETICS (capotto), cortiça, alumínio, etc, terão as manutenções inerentes ao material.

Uma construção Smart Wood é constituída essencialmente por madeira, devo preocupar-me com incêndios?

A propagação dos incêndios é infelizmente uma preocupação, independentemente de se tratar de estrutura de Madeira, Betão, Aço, etc.

A madeira utilizada na construção que cumpra as normas, tem um comportamento de resistência ao fogo muito surpreendente e é mesmo um material de eleição como subestrutura. Isto porque ao contrário do betão e do aço, a estrutura em madeira suporta muito mais tempo o seu peso em caso de incêndio do que os restantes materiais, que têm uma tendência ao colapso muito mais rapidamente. Além disso, a madeira produz fumos menos tóxicos (que são o maior motivo de morte em incêndios) o que permite uma melhor possibilidade de fuga.

Qual a durabilidade de uma construção Smart Wood?

No nosso país a construção em madeira perdeu-se no tempo. A estrutura de madeira tradicional que era muito utilizada na construção de lajes e coberturas, perdeu-se para o betão. Hoje retoma a sua posição com o avanço tecnológico da construção em madeira.

É preciso relembrar que a construção tradicional de grande parte dos países mais desenvolvidos do mundo é em subestrutura de madeira, desde os EUA, Canadá ou países nórdicos da Europa.

Relativamente a características diferenciadoras deste tipo de construção, pode dizer que, a plasticidade da madeira, a sua resistência natural à compressão como à tensão, a inexistência de pontes térmicas e a rapidez com que é executada, permite dar a melhor resposta possível à procura do mercado. Aliado a isto fica a incontestável sensação de pertença e conforto que a madeira nos proporciona e que não sentimos da mesma forma com o aço e o betão.

O Aperfeiçoamento de espécies e a correcta aplicação da madeira permitem uma durabilidade até mesmo superior à do betão, com manutenções muito reduzidas ou inexistentes.

Qual a garantia que uma construção Smart Wood tem?

A Smart Wood oferece uma garantia de 5 anos de acordo com a legislação em vigor para construção, independentemente de se tratar de um imóvel ou de um equipamento

Temos, contudo, a certeza que desde que haja a manutenção comum com uma construção Smart Wood, deixará um legado aos seus herdeiros por algumas gerações.

Que vantagens tenho em adquirir uma construção Smart Wood face à construção tradicional?

As vantagens são inúmeras. Construção sustentável, ecológica, classe térmica elevada, a estrutura em madeira não tem pontes térmicas, imagem apelativa e contemporânea, capacidade de crescimento a longo prazo, rapidez na construção com qualidade e possibilidade de decidir pela aquisição somente do espaço que precisa no momento. Além disso, passa a pertencer a um restrito grupo de pessoas conscientes que se preocupam não só com o aspecto do seu espaço como com toda a envolvente inerente a este tipo de construção e a sua baixa pegada ecológica.

Na Smart Wood, trabalhamos todos os dias no sentido de melhorar continuamente os nossos produtos para que possa ter orgulho em ser proprietário de um Smart Wood, reconhecendo-a como uma marca de excelência!

As madeiras utilizadas pela Smart Wood para a construção estão protegidas contra as térmitas?

A madeira poderá ser tratada de diversas formas, de acordo com a utilização e funcionalidade que se pretende obter dos respectivos produtos. Por este motivo, deverá sempre escolher-se a protecção adequada, de forma a evitar eventuais danos e prejuízos que possam vir a ocorrer.

Qualquer utilizador poderá servir-se da EN 335 (Norma europeia sobre a durabilidade da madeira e de produtos derivados da madeira) para identificar a “classe de risco” de uma determinada condição de serviço e de uma localização geográfica. O quadro abaixo apresentado ajudará a determinar os agentes biológicos que podem atacar a madeira em certas e determinadas situações.

Fonte: EN 335-2, 2011, p. 9.

Referências Bibliográficas:

Instituto Português da Qualidade, 2011. Durabilidade da madeira e de produtos derivados da madeira, Definição das classes de risco, Parte 2: Aplicação à madeira maciça. 2ª Edição. Caparica, Portugal.

 

Este quadro apresenta valores típicos de teor de água para madeira maciça e ainda, um resumo dos agentes biológicos que poderá atacar a madeira nas diversas classes de risco.

As madeiras estruturais da Smart Wood são tratadas com autoclave risco classe 4 e encontram-se protegidas contra fungos e térmitas.

Como se comporta as estruturas Smart Wood às ações exteriores?

A Smart Wood constrói todas as suas estruturas em madeira de acordo com o Eurocódigo 5 que prevê o dimensionamento das estruturas contra ações exteriores como o vento e ações sísmicas.

A flexibilidade e deformabilidade da madeira possibilita que esta acompanhe os movimentos induzidos pelos sismos, permitindo regressar à sua posição inicial.

Assim, a madeira sendo um material leve e com resistência relativamente elevada, possuirá um bom desempenho em relação às ações sísmicas.

As construções Smart Wood são sustentáveis?

Normalmente, os parâmetros que servem de apoio à avaliação da sustentabilidade estão relacionados com os seguintes objetivos: redução da utilização de energia e materiais não renováveis; redução do consumo de água; redução da produção de emissões, resíduos e outros poluentes.

Nesse sentido, a madeira torna-se um material ambientalmente sustentável por ser reciclável, renovável e biodegradável, para além de ser dos produtos que despende menor energia para a sua transformação. Provém da floresta, tendo esta um papel importantíssimo em diversos aspetos dentro de cada país, e em particular as árvores são um consumidor de dióxido de carbono e libertador de oxigénio, o que significa que ajudam a prevenir o aquecimento do planeta e são imprescindíveis para a manutenção da qualidade do ar.

A análise do ciclo de vida da madeira mostra que esta tem melhor desempenho que os principais materiais de construção no que se refere à energia incorporada, emissão de gases, libertação de poluentes para o ar e água e produção de resíduos sólidos. A madeira apresenta, por isso, vantagens e propriedades que a tornam num material fundamental para uma racionalização ecológica de qualquer construção residencial ou industrial reduzindo o consumo energético, a utilização de recursos, minimizando a poluição e reduzindo o impacto ambiental.