Categoria: Sem categoria

Descrição enviada pela equipe de projeto. Inovação

O sistema estrutural de madeira é a inovação e o elemento mais significativo do projeto. De um ponto de vista técnico e ambiental, a estrutura de madeira proposta é uma resposta única para este tipo de edifício de escritórios, e o fato de que os elementos estruturais sejam inteiramente visíveis também dá um caráter muito especial e espacialidade de alta qualidade para o ambiente de trabalho.

Sustentabilidade

Além da contribuição clara para a sustentabilidade na escolha da madeira como material estrutural principal (material de construção renovável e com menor produção de CO2 no processo de construção), o sistema mecânico global foi projetado para atender os mais altos padrões em matéria de energia (o espaço intermediário tem função de “barreira térmica” para os espaços públicos, que serão aquecidos e resfriados com o ar residual da área de escritórios).

Descrição da Arquitetura

O projeto para a sede da empresa suíça Tamedia está situado no coração da cidade de Zurique, em um terreno de 1.000 metros quadrados dentro de um bloco urbano maior onde os principais edifícios do grupo estão localizados.

A implantação do novo edifício corresponde ao perímetro do edifício existente a ser demolido, mas desta vez com continuidade às fachadas dos edifícios ao lado, aproveitando a altura máxima permitida, a fim de otimizar a área de escritórios.

O edifício desenvolve-se dentro de 7 andares e dois pavimentos de subsolo, com uma área de 8.602 metros quadrados, com mais 1.518 metros quadrados adicionais que correspondem ao projeto de extensão de dois andares localizados no edifício vizinho.

Do ponto de vista arquitetónico, a principal característica do edifício é a estrutura de madeira. Além disso, o edifício é totalmente envidraçado e foi dada uma atenção especial para conseguir um baixo nível de transmissão de energia que responde às mais recentes normas e regulamentos suíços, muito estritas em termos de consumo de energia.

 

Na fachada de frente para a cidade, o edifício também dispõe de um espaço intermediário ao longo de toda a altura, com papel de “tela térmica” dentro da estratégia geral do consumo de energia, que também se torna uma experiência espacial única, com áreas de lazer e conexões verticais entre os escritórios

Estas varandas podem ser usadas para reuniões informais e áreas de descanso, que também têm a particularidade de ter uma fachada composta por um sistema de janelas de vidro retrátil que permitem “transformar” esses espaços em terraços ao ar livre que reforçam a relação privilegiada entre o interior do edifício e sua paisagem do entorno.

 

Fonte: www.archdaily.com.br